Noiva sobe ao altar com vestido do Palmeiras e faz sucesso

O vestido polêmico feito pelo estilista Ricardo Miller fez o maior sucesso, tanto no casamento quanto nas redes sociais

Organizar um casamento não é fácil. É preciso estar atenta a todos os detalhes da decoração, festa e cerimônia na igreja. Além disso, tem a escolha do tão sonhado vestido de noiva, que deve ser perfeito não só para você como para o noivo, afinal, é dia de ser admirada.


Para fazer a felicidade do futuro marido e de quebra, agradar a toda a família e a si própria, a noiva Larissa Desan de Góes, de 27 anos pediu um bordado inusitado no seu vestido: o escudo do palmeiras!


Isso mesmo! Ela pediu para o estilista Ricardo Miller, também de Bauru, confeccionar nas costas este símbolo tão expressivo na vida do casal.

"Foi muito emocionante. Eu chorei desde o começo, ele chorou, o meu pai também chorou, até os corintianos choraram. E o padre era corintiano. Todo mundo brincou, sabe, mas eu fiz pro meu noivo e ele gostou. É isso que importa", disse a veterinária de 27 anos ao UOL.

Segundo ela, as únicas pessoas que sabiam da surpresa eram ela, sua mãe e o responsável pela confecção do vestido, o estilista Ricardo Miller, também de Bauru. O noivo Paulo Vitor nem imaginava.

"O pessoal até esperava uma surpresa porque o nosso casamento foi todo verde e branco, a decoração, a roupa dos padrinhos. Ela entrou e a hora que eu vi o símbolo foi só quando fomos assinar, o casório já tinha rolado um pouco, os convidados tinham visto, e eu não. Fiquei realizado, emocionado", disse o bancário de 28 anos.

O padre Paulo Tavares também não sabia de nada. "Primeiramente me chamou a atenção na entrada dos padrinhos, as madrinhas estavam de verde e os padrinhos todos de gravata verde. Na hora que eu vi aquilo, pensei que tinha alguma coisa errado, não é uma cor comum para casamento. Ela não disse a ninguém, jamais revelou, nem pra mim na confissão", disse ele, que costuma descontrair na cerimônia diante da ansiedade e tensão dos noivos.

"Eu ainda brinquei: 'Poxa, nem parece que vocês são corintianos, que povo desanimado'. Na hora que eu falei isso, ela me me mostrou o emblema do Palmeiras. Então eu brinquei de novo: 'Você vai ter que procurar outro padre, porque com esse vestido eu não vou fazer o casamento, não", lembrou o padre Paulo, aos risos.