Decifrando o “pum” dos peixes

Quem sempre invejou o Dr. Dolittle, personagem interpretado por Eddie Murphy no filme de mesmo nome, talvez passe a reconsiderar o desejo de falar com animais depois de ler sobre esta experiência. Pesquisadores ingleses e canadenses se reuniram, em 2003, para investigar a flatulência de alguns tipos de arenques, pequenos peixes presentes nas águas do Atlântico Norte, Pacífico Norte, Mar Báltico e Mediterrâneo. De acordo com o grupo de pesquisadores, o “pum” dos peixinhos pode ser usado como protocolo de comunicação entre os indivíduos da espécie.
Em entrevista à National Geographic, o biólogo Ben Wilson, do Centro de Ciências Marinhas de Bamfield, no Canadá, afirmou que os arenques possuem uma boa audição e que costumam fazer alguns barulhos esquisitos durante a noite, expelindo ar pelo ânus e criando pequenas bolhas. Posteriormente, testes em laboratórios confirmaram que os gases emitidos pela espécie não estão relacionados com a alimentação, já que o comportamento se repetia mesmo quando os arenques estavam de barriga vazia.
Curiosamente, a flatulência aumenta quando muitos peixes dessa espécie estão reunidos, o que pode ser um indicativo de que eles usam os “ventos” para se comunicar. Você pode ouvir o som emitido pelos arenques no vídeo acima. Esse comportamento foi batizado de Fast Repetitive Tick (Tiques Repetitivos e Rápidos), que pode ser abreviado como FRT, sigla muito similar à palavra em inglês para se referir ao flato: fart.


Fonte: Tecmundo